Seminario Foto Antiga

D. AFONSO HENRIQUES, 900 anos, 1111-2011, Barroso da Fonte, Âncora Editora/Editora Cidade Berço, 2011 , 471 paginas.
Barroso da Fonte regressou, pela 3ª vez em livro, ao tema do local e data de nascimento de D. Afonso Henriques, depois de duas edições diferentes de Afonso Henriques, um Rei polémico.
E por quê? Pela simples razão de alguém ter tentado alterar a tradição quanto ao local do nascimento do nosso primeiro rei. Mas vamos por partes.
A tradição dá Afonso Henriques como nascido em Guimarães no ano de 1111. A. Almeida Fernandes, um medievalista viseense, já falecido, sem ter descoberto, e consequentemente apresentado, qualquer documento novo, avançou com uma «conveniente» interpretação, afirmando que D. Afonso Henriques nasceu em Viseu e em 2009. Os autarcas viseenses aproveitaram a «deixa» e rentabilizaram a «hipótese» levando no engodo historiadores e políticos, como o Presidente da República. E lá se celebraram os 900 anos do nascimento de Afonso Henriques em 2009 e em Viseu. Caiu o Carmo e a Trindade em Guimarães. Barroso da Fonte colocou o elmo, vestiu a túnica de malha, e armou-se de espada, brandindo-a contra todos os que negassem Guimarães como terra da naturalidade de A. Henriques.
Esta obra está dividida em três partes: a destruição dos alicerces da Pátria; crónicas publicadas na imprensa; forais e outros documentos. A 1ª parte, com 4 capítulos, é a mais extensa, 192 páginas. É nela que Barroso da Fonte rebate, ponto por ponto, a tese de Viseu que, por agora, é a questão principal. Quanto à data de nascimento de Afonso Henriques continua a haver várias hipóteses, de 1106 a 1112. Este mistério é um bom motivo para uma leitura destas obras.

Ribeiro Aires