Seminario Foto Antiga

Versão para impressão PDF

Excelncias Reverendssimas D Joaquim e D Amndio
Reverendos Padres germinados nesta casa
Senhoras e Senhores
Amigos Companheiros ou Camaradas
Olhando para a grande maioria dos antigos alunos presentes neste convvio, e para as particularidades desta casa, relembro com saudade os tempos que passei e que passmos nesta nossa Casa
Foram tempos felizes! E como era bem diferente essa poca da que hoje vivemos.
Sim era bem diferente .....
Mas ....
O progresso do mundo de hoje - em que se traduz essa diferena -tambm tem a sua gnese nesta Casa e em muitas outras casas semelhantes a esta , espalhadas pelo Pas e pelo Mundo
Sempre foi a Igreja, ao longo dos tempos, quem fermentou em seminrios, os alfobres de eruditos, cientistas e leaders de opinio mundial
Sempre foi a Igreja quem dos humildes fez sbios, jurisconsultos, escritores, poetas, mdicos, filsofos e pensadores !!!!
E a grande maioria de ns oriundos de famlias simples, sem linhagem notria ( ainda que a tivessem na sua gnese) ou pergaminhos reconhecidos ... foi nesta casa e em outras casas idnticas a esta que adquiriu a educao , a disciplina e organizao de trabalho, os valores ticos e sociais que aliceraram as nossas carreiras e garantiram a nossa manifesta participao activa na vida social da poca em que vivemos
Entrmos crianas nesta CASA motivados pelas nossas famlias que desejavam ver-nos HOMENS influentes no pas, desejando que fossemos Padre - a figura mais importante do seu meio Social - e orgulhando-se, a no atingirmos o seu objectivo, da educao e cultura que sabiam ser-nos ministrada aqui , que nos permitiria ter um papel mais activo na sociedade ....
Eram difceis os tempos de ento .... Uma regio sem vias de comunicao... sem escolas secundrias para alm das cidades de Chaves e Vila Real, uma poca de vacas magrssimas sem qualquer apoio do estado educao e formao profissional !!!!
Viemos para aqui crianas ... feitos homens pressa... de fato, gravata e chapu...e encontramos aqui UM LAR --- Dir-me-o que era uma disciplina rgida e severa ... um ensino de cariz aristotlico... uma distancia fria entre docentes e alunos ...
Sempre entendi que havia regras ... e que respeitando-as a nossa vida era feliz !!!
Tinhamos em Humanidades um leque de professores do mais alto gabarito e de uma rara cultura , se comparada com os dias de hoje - Drs. Alberto Pereira, Barroso, Montes, Sousa Sampaio, Adriano, Padres Domingues, Joo Manuel, Armando, Bernardo, Gomes, Cabral, Bernardino, Minhava, Ferreira, Carvalhinho e em teologia Doutores da Igreja do calibre de um Libnio Borges, Teixeira Borges, Monsenhor Serafim, Monsenhor Minhava entre muitos outros que a minha memria no traz a colao
Prefeitos que vigiavam o nosso comportamento social e pessoal desde os sapatos por engraxar, s unhas no cuidadas ou s ndoas na indumentria ...
Tnhamos disciplina sim... horrio para levantar... para estudar... para as refeies ... para o estudo... para lazer e recreio...
Apesar dessa disciplina frrea tnhamos um amigo em cada Padre Prefeito - o mesmo que se apresentava rgido e frio - sempre que alguma contrariedade se nos deparava
Eram difceis os tempos de antanho aqui nesta casa ?
Difceis se comparados com os tempos de hoje ....
Os meios a que tnhamos acesso para aquisio de conhecimentos eram radicalmente diferentes dos de hoje.
A televiso era uma miragem: Ou ainda no existia ou s existia em lugares privilegiados
Telemvel? Computadores? Internet?
Nem nos livros de fico cientfica se adivinhavam
E-mail? Messenger?, Orkut? YouTube? Wikipdia? Google?
Formas de comunicao... nem nos sonhos imaginveis ....
Tudo isto agora so dados simplesmente adquiridos.
Toda essa tecnologia faz parte das nossas vidas e nos comum....
E as condies e meios de que dispnhamos !!!
E seriam mais rgidos e obsoletos se comparados com o panorama do Pas?
Tenho a certeza que no.
Posso garantir que eram idnticos aos dos filhos da mdia alta burguesia que estudava em colgios internos ...
Sa daqui e passei pelo Colgio Joo de Deus , no Monte Estoril, onde os alunos internos tinham a mesma rigidez do dia a dia ... e condies inferiores s nossas ... em termos de humanidade e interaco pessoal ....
Mas foi esta casa quem moldou homens para a vida e que no ultimo quartel do sculo passado e nos dias de hoje foram a nata social da nossa Diocese e do nosso Pas ...
Daqui saram HOMENS com uma cultura humana moldada pelos mais rgidos princpios da solidariedade, humanidade, responsabilidade, idoneidade moral e social, fraternidade e liberdade e que viriam a ter papel activo nos sectores da Educao, Justia, defesa nacional e segurana interna, sade e sociedade, no campo das letras e no campo das artes
Os Colgios , fundados na dcada de 60 para colmatar as lacunas do ensino, foram na sua maioria criados, dirigidos e orientados por Padres deste Seminrio... ou antigos alunos do Seminrio
Germinaram nesta casa
Clrigos eminentes muitos dos quais vivem o seu dia a dia no anonimato pela sua humildade de vida .... mas com destaque para trs Bispos da nossa Gerao ... dcadas de 50 e 60 ...que hoje .... .so responsveis por dioceses carismticas ....
Setbal com os mltiplos problemas sociais e de insero onde o BISPO porta bandeira ...
Leiria e Ftima .... como plo dinamizador da cultura religiosa e fonte da F e
Vila Real, a nossa diocese tradicionalmente catlica mas onde o desenvolvimento social nem sempre acompanha o passo do pas em marcha .... com interveno activa e trabalho de fundo...
Nos jardins do seminrio tiveram as suas razes ainda personalidades de que no vou referir nomes para no ser injusto para os que sempre se pautaram por uma actuao discreta e profcua....
Professores que pelo Pas deram cartas nas mais diversos estabelecimentos de Ensino, desde as Universidades s escolas bsicas ....
Advogados que se impuseram pela sua seriedade, competncia e aplicao ....
Juzes que atingiram o pico mais alto da magistratura - o Supremo Tribunal
Militares que chefiaram quartis e GNR
Polticos que dirigiram, liderando ou integrados em rgos colegiais, Autarquias ou participaram na profcua e mltipla legislao do Pas Moderno
Por aqui passaram midos de chapu, fato preto e gravatinha que viriam a ser Bispos, Clrigos, Professores Doutores, Mdicos, arquitectos, engenheiros, Conselheiros, Desembargadores e Juzes, procuradores do Ministrio Publico, Notrios, Conservadores, advogados, juristas, professores do Ensino Secundrio, Preparatrio e Primrio, militares de alta patente - de capites a Coronis, prestigiados Chefes e funcionrios de Finanas e da Segurana Social, Directores, Gerentes e Empregados Bancrios, funcionrios pblicos em vrios escales , prestigiados empresrios do comrcio, industria e agrcolas
E posso assegurar com toda a certeza.... que o desempenho de todos eles nas suas relaes com os outros e fruto do ADN que aqui lhes foi inculcado.... foram de gente de referncia.... pela afectividade, humanidade , competncia e desempenho de seus misteres
E foi a formao de base aqui recebida que fez com que pudssemos corresponder, com jovialidade de esprito e grande generosidade, misso que a vida nos reservou, e soubssemos prevenir-nos com prudncia e prontido contra as possveis crises pessoais a que nos poderiam conduzir as dificuldades de ambiente, indiferena, aparente falta de eficcia do trabalho, rotina, cansao, ou a despreocupao por manter e aperfeioar a nossa formao intelectual.
Nenhum estabelecimento de Ensino a nvel distrital com muito maior apoio econmico se pode orgulhar de uma to vasta pliade de Homens que deixaram a sua marca no trabalho e na sociedade em que se inseriram com muita facilidade e onde vingaram pelo ADN pelas armas interiores que lhe foram plasmadas pelo Seminrio
Na pessoa do nosso BISPO D Joaquim a AASVR agradece, em nome dos seus associados, aquela disciplina rgida e aquela formao de base que nos foi inculcada ao longo dos anos que vivemos nesta Nossa Casa
Obrigado Seminrio
O Seminrio tanto deu frutos para a Igreja como para a sociedade

.


...