Seminario Foto Antiga

Versão para impressão PDF

.

Jos Augusto Miranda Mouro nasceu a 12 de Junho de 1947 em Lordelo, Vila Real.
Ingressou no Seminrio de Vila Real em 7 de Outubro de 1958 e aps a sua sada do seminrio, ainda na adolescncia, optou pela vida religiosa e padre dominicano.
Desde muito cedo se dedicou s letras. Tem colaborao dispersa em vrias publicaes. professor na Universidade Nova de Lisboa.
Vida acadmica
1999: Agregao em Semitica (FCSH, UNL)
1991: Doutoramento em Teoria da Literatura (FCSH, UNL)
1979: Licenciatura em Cincias Literrias (FCSH, UNL).
1977: Licenciatura em Teologia (Faculdade de Teologia de Lyon, Frana).
Cargos acadmicos
Professor Associado com Agregao (UNL-DCC, 1999)
Professor Associado (UNL- DCC, 1998)
Professor Auxiliar (UNL-DCC, 1991-98)
Assistente (UNL- DCC, 1984-91)
Assistente estagirio (UNL-DCC, 1981-1984).
Outros domnios
Teoria da Literatura, Crtica, Teologia
Actuais interesses de investigao
Hiperfico e Cultura
Domnio de especializao
Semitica, Hipertextualidade e Cultura
PUBLICAES
Livros:
Genealogias e Cartografias (com Maria Augusta Babo), Coimbra, Minerva, 2007
Luz desarmada, Prefcio (2006).
A influncia de Joaquim de Flora na cultura Portuguesa e Europeia, de parceria com Eduardo Franco, Roma Editora (2005).
O Mundo e os Modos da Comunicao, Minerva (2005)
O Fulgor Mvel (em torno da Obra de Maria Gabriela Llansol), Ed. Roma, 2004.
Fico Interactiva: Para uma Potica do Hipertexto, Edies Universitrias Lusfonas, 2001.
Coordenao, juntamente com M. Estela Guedes, Nuno Peirio e Raquel Gonalves de Discursos e prticas alqumicas, Hugin, 2001.
Agenda os Nossos Avs, coordenao, juntamente com Ana Lusa Janeira, responsvel tcnico da verso online. Edio da Universidade de Lisboa.
Para um imanentismo aberto (o reducionismo solipsista)", in Comunicao e Sociedade 1, Cadernos do Noroeste (1999).

Faleceu em Maio de 2011









Outras actividades anteriores
Membro da Direco do CECL (2000-2002). Presidente do CECL (2003-2006).
Membro da equipa portuguesa que integra as Aces Integradas Luso-Espanholas, de parceria com o CITSUL (Centro Interdisciplinar de Tecnologia e Sociedade da Universidade de Lisboa) e o CEH (Centro de Estudios Historicos de Madrid).
Presidente do (ISTA) Instituto de S. Toms de Aquino e dos Cadernos ISTA.
Membro do Comit executivo da Associao Internacional de Estudos Semiticos (1999).
Membro da Comisso de Creditao da Revista Faces de Eva (2001).
Membro de Aconselhamento permanente do Ncleo de Estudos de Comunicao e Sociedade da Universidade do Minho (2002).
Membro do Conselho Editorial da revista Comunicao e Cultura da UCP (2006).
Membro da Comisso Cientfica da Revista Cibertextualidade (CETIC) (2006).
Director da Revista de Cincias da Linguagem (2006).

Lnguas
Conversao: portugus, castelhano, francs.
Leitura: portugus, castelhano, francs, ingls, italiano, latim.
Escrita: portugus, castelhano, francs.

Organizao de reunies cientficas internacionais
Membro da Comisso Cientfica do Colquio Internacional Discursos e Prticas Alqumicas (2006).
Membro da Comisso Cientfica do Colquio Internacional Os Dominicanos em Portugal - VIII Centenrio da Fundao da Ordem dos Pregadores (2006).
Membro da Comisso Cientfica do Colquio Internacional Missionao no Imprio Portugus: teorias historiogrficas e novas metodologias de investigao (2006).
Director do Seminrio Dialogar preciso (2006).
Presidente do EAC (Conferncia Internacional sobre arte e comunicao) (2005).
Membro da Comisso Cientfica do Colquio de Estudos GLQ Culturas, Identidades, Visibilidades (2005).
Membro da Comisso Cientfica do Colquio Internacional Michel Foucault. Lei, Segurana e Disciplina (2005).
Coordenador principal da Comisso organizadora do Colquio Internacional A Inquisio Portuguesa: Tempo, razo e Circunstncia (2004).
Membro da Comisso organizadora do Colquio Internacional Frei Lus de Granada e o seu tempo (2004).
Membro da Comisso organizadora do Colquio "Natlia Correia" (2003).
Presidente da organizao do Colquio Internacional "A Criao" (2001).
Presidente da organizao do I e do III Colquio Internacional Discursos e Prticas Alqumicas (1999 e 2001).
Presidente da Comisso Cientfica da Conferncia Internacional sobre "A cultura das redes" que teve lugar na Fundao Gulbenkian em Outubro de 2001.
Membro da Comisso organizadora do IV Centenrio da morte de Fr. Lus de Granada e do Congresso Internacional sobre o mesmo que decorreu em Lisboa (1986) e Granada (1988).

"
"A retrica da cincia no debate acerca do aborto em Portugal", in Maria Eduarda Gonalves (org.), Cultura Cientfica e participao Pblica, Lisboa, Celta, 2000.
"O Naturalismo na sua relao com a Igreja Romana", Revista Sculo XVIII, vol. I Tomo I Spes, Lisboa, 2000.
"Do uso selvagem do sagrado: a religiosidade vagabundeante", RCL, n 28, 2000.
"Catstrofes fiducirias: o valor ondulatrio do dinheiro", em colaborao com Jos Casquilho, in Comunicao e Sociedade, Vol 14, n 1,2/C.C.H.S. 2001.
"Hibridismo e semitica: os quasi-objectos", in RCL, N 29, Maio, 2002.
"A textualidade electrnica. Literatura e hiperfico", in De Gutenberg ao Terceiro Milnio, Universidade Autnoma de Lisboa, Lisboa, 2002.
"Adlia Prado: Poticas ou a alegria da escrita", in Revista Portuguesa de Humanidades, Vol. 5 - 1/2, 2002.
"A leitura como exerccio dos sentidos", Brotria vol. 154, Abril, 2002.
"A praxis enunciativa: entre Spinoza e Greimas", in As Cincias da Comunicao na viragem do sculo, Org. Jos Bragana de Miranda e Joel F. da Silveira, Vega, comunicao & linguagens, 2002.
"Vnculos, novos vnculos, desvinculaes", In Crtica das Ligaes na Era da Tcnica, org. de Jos Bragana de Miranda e Teresa Cruz, Tropismos, 2002.
"Funambulismos: a narrativa e as formas de vida tecnolgicas", in RCL, A cultura das redes, n extra, organizado por Maria Luclia Marcos e Jos Bragana de Miranda, 2002.
"Natura-cultura: para ligar as cincias e as humanidades", in Atalaia-Intermundos, n 6/7, 2002. "O mundo das redes: a euforia rizomtica", in cadernos ISTA, n 13, 2002.
"A Comunidade como Prtica do Lugar", in conversas volta dos conventos, coord. Virgnia Fris, Casa do Sul Editora, 2002.
A sensibilidade artificial: os modos do sensvel, in Trajectos, Outono, n 3.
Literacia museolgica: textos, objectos, espaos e eventos, in Atalaia-Intermundos, n 12/13, 2003.
O museu como acto comunicativo: produo e interpretao, in Atalaia-Intermundos, n 12/13, 2003.
A ertica do affectus, em Trabalhos de Jesus, in Histria e Antologia da Literatura Portuguesa sculo XVI, n 25, 2003, Fundao Calouste Gulbenkian.
O habitat da hiperfico Hipertopia(s), com Jos Casquilho, in RCL, n 32, 2003.
Cybertext. Perspectives on Ergodic Literature, in Caleidoscpio, 2 Semestre, n 4, 2003.
Da metafsica do fluxo a treva luminosa: Eckhart e a tirania da imagem, in Cadernos ISTA, n 15, 2003.
Quando a letra o bordo em que bate a vida (A partir de Ne lisez pas ce livre! de Renaud Camus), in Indisciplinar a Teoria. Estudos Gays, Lsbicos e Queer, org. Fernando Cascais, Fenda, 2004, pp. 283-3-9.
Ego affectus sum: Sujeito, paixo, discurso, in RCL. N 33, 2004, pp. 173-185. Para que serve a Literatura?, in Interact n 11, 2004.
Deus na Literatura, in Lumen, (UNIFAI) n 11, 2004.
Do humanismo de Bartolomeu dos Mrtires ao ps-humano, in Humanismo para o nosso tempo. Homenagem a Lus de Sousa Rebelo, Lisboa.
Ningum verdadeiramente autor, in Caleidoscpio, n 5/6, 2005. A mstica do Esprito Santo em Natlia Correia: transposio portuguesa e feminina de uma utopia europeia, com J. Eduardo Franco, in Brotria Maro 2005.
Do espao teolgico ao ciberespao, in TCL n 34 e 35 (2005).
A guerra nas apologias' de Seplveda e Las Casas, in Revista da FCSH, n 16 (2005).
Dispositivos de mediao - a propsito da exposio de Prespios. Col. F. Canha da Silva, Episteme n 21, Univ. Federal do Rio Grande do Sul.
Do Tecnoparaso ao Inferno de eXistenZ, in Natural?! O que isso?, apenas livros, 2005.
Escrita e Hipertexto: do scribere ao spectare, in Pensar a escola, Escola Secundria Vitorino Nemsio, n 3, 2006.
A noo de ordem no espao das Ordens e Congregaes, in Brotria , vol. 162, 2006.
George Buchanan: o drama da interlocuo, in Praedicatores, Inquisitores - II, (ed.) Arturo B. Palcios, Institutum Historicum Fratrum Preadicatorum, Romae, 2006.