Seminario Foto Antiga

Nasceu em Cambezes do Rio, concelho de Montalegre, em 22.02.1940.
Cursou o Seminário de Vila Real, onde concluiu Teologia em Junho de 1962
Conclui a licenciatura em História, na Universidade do Porto, em 1980.
Paroquiou Tourém e Pilões, logo que foi ordenado sacerdote em 1962
Após a morte do Padre Domingos Barroso (28.03.1972), foi para a paróquia de Vilar de Perdizes e de Meixede, onde ainda continua a exercer.
Já na primeira paróquia dera nas vistas, pelo seu apego aos usos e costumes.
A sua pastoral, desenvolvida nos campos do místico e do profano , foi a bandeira do concelho de Montalegre ao longo de várias décadas, a vários níveis, sendo o barrosão mais mediático e mais conhecido da sua geração
Fundou e organizou o Congresso de Medicina popular (de Vilar de Perdizes);
Dinamizou os Ranchos Folclóricos (de Vilar de Perdizes, Pitões, Meixide, Soutelinho e Cambezes do Rio)
Organizou os Jogos Populares Galaico Transmontanos
Tornou se num conferencista rotineiro, por todo o país e no estrangeiro desde associações de classe a universidades, de autarquias a grupos sócio culturais e participou em muitos debates radiofónicos e televisivos.
Para além de padre, exerceu as funções de funcionário administrativo da Caixa de Previdência e foi Assessor do Pelouro da Cultura a partir de 1990, onde uma das suas iniciativas mais marcantes foi a instituição da Feira do fumeiro, que se realiza em Janeiro de cada ano, em Montalegre.
A vida do padre Fontes "desde que nasceu até hoje", foi condensada num DVD. O documentário, de 50 minutos, apresentado em Vilar de Perdizes, no âmbito de uma homenagem ao pároco, pela passagem dos seus 70 anos.
De acordo com o autor do filme, Luís Costa Ribeiro, a ideia é agora comercializar o DVD a nível nacional.
Da sua vasta OBRA, destacamos :
Usos e Costumes de Barroso (com Barroso da Fonte e Alberto Machado Chaves 1972);
Etnografia Transmontana I e II, foi a sua primeira obra que teve várias edições;
Milenário de S. Rosendo (de parceria com J. A. Carvalho de Moura);
Antropologia da Medicina Popular Barrosã, (de parceria com João Sanches).
Chegas de Bois de raça barrosã
Contos da raia
Las fronteras invisibles,     
 Ponte da Mizarela , ponte do diabo
Crenzas e mitos da raia seca ourensana 
Roteiro dos castros de Montalegre,
Roteiro dolménico de Montalegre.
Fundou e dirige, desde 1971, o mensário Notícias de Barroso
Colaborou em vários jornais e revistas regionais.
Dirige no Centro Social Paroquial de Vilar de Perdizes,
de que é fundador e presidente com jardim de infância centro  de dia, cursos de formação (artesanato da lã e do linho (1986); (Plantas aromáticas em 1998) (apicultura (1985), (de serigrafia, artes decorativas).

Colaborador permanente da RTP, TVE, TVG.
Participou em filmes da região: Terra de Abril, Terra Fria, 5 dias e 5  noites, não cortes o cabelo que meu pai me penteou, Os demónios, documentários para a BBC, TV de Holanda e França, Unesco, Odisseia...
Organizou vários congressos internacionais:
Milenário de S Rosendo (77)
Centenário de S. Bento (81);
caminhos de Santiago (82);
Medicina Popular, (desde 83),
2 de religiosidade popular (84-85)
um de arquitectura popular
encontros de cantadores ao desafio e concertinas, pelo Natal.
Reconstruiu em Mourilhe o solar do Outão do séc. XVlll, agora hotel rural Sª dos Remédios, centro cultural de promoção e divulgação das terras e cultura Barrosã onde acolhe turistas, visitantes, doentes, universidades e  estudantes, artistas, e comunicação social.