Seminario Foto Antiga

Os BISPOS GERMINADOS NO SEMINARIO DE VILA REAL

  

D. JOSE DE AQUINO PEREIRA

josepereira

Ingressou no Seminário de Vila Real vindo de S Cibrão, sua terra Natal , no ano lectivo 1931/1932 , tendo como colegas de curso, entre outros, Monsenhor Ângelo do Carmo Minhava, o Padre António Augusto Vilela e o Professor Miguel Gilberto Ferreira de Matos que durante muitos anos residiu em Nogueira - Vila Real
Filho de - Manuel de Aquino Pereira e Maria do Rosário Ribeiro
Nascido em V. Real, Trás-os-Montes, Portugal a 20 de Abril de 1920
Foi para o Brasil em 1938 matriculando-se no Seminário Central do Ipiranga em São Paulo
Ordenado presbítero em 03 de Dezembro de 1944, na cidade de S Carlos (S P) sendo nomeado bispo da Diocese de Dourados , Mato Grosso do Sul em 23 de Janeiro de 1958 foi pelo Papa Paulo XII sendo ordenado em 13 de Abril de 1958
O seu múnus episcopal foi desenvolvido depois nas seguintes dioceses:

Bispo de Presidente Prudente- SP de 02 de Julho de 1960 a 4 de Agosto de 1968 por nomeação de João XXII
Bispo de Rio Preto, por nomeação de Paulo VI de 06 de Maio de 1968 exercendo o seu Bispado de 4 de Agosto de 1968a 26 de Fevereiro de 1997, data em que renuncia
ao múnus episcopal
Nomeado Bispo da Diocese de Rio Preto em 1968, assumiu, como lema: "É Necessário que Ele Reine"...
Dom José assumiu a diocese em tempos difíceis e de mudanças trazidas pelo Concílio Vaticano II. "Dois grandes desafios o esperavam: escassez de padres que divergiam de pensamento e a situação económico-financeira da Diocese".
Decidiu criar e instalar o Seminário Maior Diocesano "Sagrado Coração de Jesus"; isto ocorreu em 1975, com apenas cinco seminaristas maiores e o apoio da Diocese de Pavia, Itália.
O prédio velho foi reformado.
À medida que os compromissos financeiros iam sendo saldados, Dom José recuperava e fortalecia o património do Seminário, reformou o Palácio Episcopal e começou a construção da nova Catedral.
Quando Dom José assumiu, a Diocese possuía 38 paróquias.
A cidade de São José do Rio Preto tinha aproximadamente 150 mil habitantes e 7 paróquias.
Em 1995, quando Dom José colocou o cargo à disposição da Santa Sé a cidade contava, aproximadamente com 320 mil habitantes, 21 paróquias enquanto a Diocese estava com 79 paróquias.
Com a renúncia aceita pelo Papa João Paulo II, Dom José foi nomeado Administrador Diocesano até a posse do novo Bispo, que ocorreu no dia 1º de Maio de 1997.
Dom José de Aquino Pereira continua residindo em São José do Rio Preto onde presta serviços à comunidade.

 

D GILBERTO CANAVARRO REIS

gilbertoreis
D. Gilberto Délio Gonçalves Canavarro dos Reis nasceu a 27 de Maio de 1940 em Barbadães, Concelho de Vila Pouca de Aguiar, Distrito e Diocese de Vila Real.
Ingressou no Seminário de Vila Real no ano lectivo 1951/1952, tendo como colegas de curso entre outros os Drs Carvalho de Moura, Domingos Gomes, Bruno Teixeira, Ildo Rocha , José Augusto Vieira, Serafim Vilela , João Viamonte, José Luís Borges Coelho entre outros
Foi ordenado Presbítero a 21 de Setembro de 1963 na Sé de Vila Real. Nos anos seguintes estuda Teologia Espiritual na Universidade Gregoriana em Roma. Foi Director Espiritual no Seminário de Vila Real, Professor de Teologia Fundamental, Prefeito de estudos no Seminário do Porto. Mais tarde Pároco em Chaves até ser nomeado Bispo Auxiliar do Porto a 16 de Novembro de 1988, por Sua santidade o Papa João Paulo II, sendo ordenado Bispo a 12 de Fevereiro de 1989, na Igreja Matriz de Chaves.
A 23 de Abril de 1998 foi nomeado Bispo de Setúbal, tomando posse a 21 de Junho de 1998 em substituição de D Manuel Martins que pediu a resignação do cargo
Durante vários anos, até ao ano de 2005 foi Presidente da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios. Actualmente é Delegado da Conferência Episcopal Portuguesa para as relações Bispos/Vida Consagrada.
Colocando sempre o acento tónico na necessidade de "evangelizar mais e melhor", D Gilberto "entregou-se ao povo de Setúbal", que classifica "do melhor que o país tem".

 
D AMANDIO TOMÁS

tomas

D. Amândio José Tomás nasceu em Chaves, Cimo de Vila da Castanheira, aos 23.04.1943, filho de João dos Reis Tomás (já falecido) e de Esperança Maria Tomás, sendo o mais velho de uma família de cinco irmãos.
Ingressou no Seminário de Vila Real no ano lectivo 1955/195 tendo com o colegas de Seminário o Padre Max, o Dr Eduardo Barros, os Prof Milagres de Oliveira e Francisco Batista, grande dinamizador da Associação Dinis do Vale, o Padre Hélder de Chaves entre muitos outros
Aqui frequentou e concluiu em 1967 os estudos de Humanidades, Filosofia e Teologia e foi ordenado presbítero em 15.08.1967.
Prosseguiu os estudos teológicos na Universidade Gregoriana, aí obtendo, dois anos depois, a licenciatura em Teologia Dogmática

Regressado a Portugal, leccionou teologia no Seminário de Lamego, foi Director Espiritual do Seminário de Vila Real e professor de Moral no Liceu Camilo Castelo Branco;
Também leccionou Teologia no Seminário Maior do Porto e ICHT (Instituto de Ciências Humanas e Teológicas) de 1971 a 1976.
Nesse ano voltou para Roma para frequentar o Pontifício Instituto Bíblico, tendo-se licenciado em Ciências Bíblicas em 1980, tendo sido nomeado Vice-Reitor do Pontifício Colégio Português, passando a Reitor em 1982, cargo que exerceu até 2001.
Em Outubro de 2001 foi eleito Bispo Auxiliar de Évora e ordenado na festa da Epifania do ano 2002, na Basílica de S. Pedro, pelo Papa João Paulo II.
Depois destes anos de trabalho generoso em Évora foi nomeado Bispo Coadjutor da |Diocese de Vila Real, em 8 de Janeiro de 2008 como Bispo Coadjutor, sendo recebido em Vila Real por D Jorge Ortiga em representação do Bispo de Vila Real dia 10 de Fevereiro, primeiro Domingo de Quaresma, às 15.30 horas
Nas estruturas da Conferência Episcopal Portuguesa foi membro da Comissão da Família e dos Leigos, e é actualmente o Delegado da CEP junto da COMECE (Comissão dos Episcopados da Comunidade Europeia), com sede em Bruxelas.


D. António Augusto dos Santos Marto

antoniomarto

D. António Augusto dos Santos Marto nasceu a 5 de Maio de 1947, em Tronco, Concelho de Chaves, filho de Serafim Augusto Marto e de Maria da Purificação Correia dos Santos
Com dez anos de idade , no ano lectivo de 1957/58 ingressou no Seminário da Diocese de Vila Real, onde permaneceu até ao ano lectivo de 1967/68, completando os estudos   humanístico-filosóficos e teológicos no até ao 3º ano de Teologia, que prosseguiu no Seminário Maior do Porto, onde completou o Curso de Teologia, com a classificação final de 16 valores
No seminário de Vila Real teve como colegas alguns dos elementos da actual Direcção da AASVR e pessoas ligadas á vida pública
No ano lectivo de 1969/70, quando realizava o estágio pastoral, frequentou o Instituto de Cultura Alemã no Porto, tendo continuado os estudos de língua alemã no Goethe-Institut em Roma e através de um Curso de Verão para Língua Alemã no Goethe-Institut em Grafing (perto de Munique), vindo posteriormente a obter o diploma do Goethe-Institut de Roma (Mittelstufe II).
Para aperfeiçoamento da língua alemã passou dois meses das férias de Verão na Alemanha, durante dez anos consecutivos (1973-1982), no serviço de substituição de párocos alemães em férias.
Nos anos lectivos de 1970/71 a 1971/72, por decisão do bispo diocesano, frequenta a Faculdade de Teologia da Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, tendo obtido o grau de licenciatura canónica em Teologia, com a classificação "magna cum laude probatus ", com a dissertação escrita sobre "O sacramento da Penitência em Orígenes e em Cipriano de Cartago".
Já em Roma, foi ordenado presbítero a 7 de Novembro de 1971.
Aí prosseguiu estudos de especialização em Teologia Sistemática na Pontifícia Universidade Gregoriana (de 1970 a 1977) onde fez a licenciatura e o doutoramento, que concluiu com a tese sobre "Esperança cristã e futuro do homem. Doutrina escatológica do Concílio Vaticano II".
No ano lectivo de 1972/73 fez o currículo em ordem ao doutoramento em Teologia Dogmática na Pontifícia Universidade Gregoriana. A investigação para a tese de doutoramento, feita na situação de bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, decorreu de 1972-1977 sobre o tema "A doutrina escatológica do Concílio Vaticano II" e sob a orientação do Prof. Doutor Juan Alfaro.
A investigação exigiu, para além da consulta da biblioteca da universidade, um contacto intenso com o Arquivo do Concílio Vaticano II e da Biblioteca da "Civiltá Cattolica" - visto que as actas do Concílio só então começavam a ser publicadas - bem como com personalidades que participaram na elaboração de documentos conciliares e na sua história (Cardeal Gabriel Garrone, Prof. Charles Moeller, Prof. René Latourelle, Prof. Jean Witte, Prof. Giovanni Caprile). Neste período de tempo teve a oportunidade de contactar profiquamente com os então Profs. Walter Kasper, Joseph Ratzinger e Gustave Martelet, que foram leccionar cursos opcionais à Universidade, tendo frequentado esses mesmos cursos.
Em Dezembro de 1978 apresentou e defendeu a tese de doutoramento intitulada "Esperança cristã e futuro do homem. Doutrina escatológica do Concílio Vaticano II" com a qual obteve o grau de Doutor em Teologia, com a classificação "summa cum laude", da Faculdade de Teologia da Pontifícia Universidade Gregoriana
Quando regressou a Portugal, nesse ano de 1977, dedicou-se à formação no seminário da Diocese do Porto e, sobretudo, ao ensino superior: foi Prefeito no Seminário Maior do Porto; professor de Teologia do Instituto de Ciências Humanas e Teológicas-Porto, no Centro de Cultura Católica do Porto, na Faculdade de Teologia da Universidade Católica (Centro Regional do Porto, nomeadamente) e na Faculdade de Direito da UCP.
Antes da ordenação episcopal, era Director-Adjunto da Faculdade de Teologia da UCP, no Núcleo Regional do Porto, Sócio da Sociedade Científica da UCP e da Associação Europeia de Teólogos Católicos. Colabora nas revistas "Humanística e Teológica", "Communio" e "Theologica".
Nos anos 1980/81 e 1981/82 frequentou o Instituto Americano no Porto para aperfeiçoar os conhecimentos de língua inglesa.
Das suas actividades pastorais, destacam-se: colaborador regular na paróquia de Nossa Senhora da Conceição, no Porto, e na paróquia do Bom Jesus de Matosinhos. Trabalhou com o Movimento de Estudantes Católicos (MCE) e com a Liga Operária Católica (LOC). Trabalhou também na catequese de adultos , na Diocese do Porto e, em colaboração com D. Manuel Pelino, publicou o livro "Catequese par ao Povo de Deus", em 2 volumes.

Na sua vasta actividade docente destaca-se: Professor de Teologia Sistemática no Instituto de Ciências Humanas e Teológicas do Porto a partir do ano lectivo 1977/78 até 1986/87.

Professor de Teologia Moral no Centro de Cultura Católica do Porto, a partir do ano lectivo 1981/82 até 1988/89.

Professor da cadeira de Mundividência Cristã na Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa a partir do ano lectivo 1984/85.
Professor do Departamento de Teologia Sistemática, a título eventual, na Faculdade de Teologia da Universidade Católica, no Porto, a partir do ano lectivo de 1987/88. Professor auxiliar do Departamento de Teologia Sistemática da Faculdade de Teologia da Universidade Católica, no Porto, a partir de 26 de Janeiro de 1990.
Professor extraordinário de Teologia a partir de 11 de Outubro de 1996.
Professor da cadeira de Antropologia Teológica no Centro de Cultura Católica, no Porto, no ano lectivo de 1994/1995.
Disciplinas, cursos monográficos, cursos opcionais e seminários leccionados ao longo da sua actividade docente.
A primeira iniciação à metodologia da investigação científica e à investigação científica em concreto, realizou-a na Faculdade de Teologia da Pontifícia Universidade Gregoriana através do seminário anual em ordem ao trabalho de licenciatura e do trabalho de dissertação sobre "A penitência em Orígenes e Cipriano de Cartago". Aprofundou-a em seguida através de seminários e cursos monográficos do currículo em ordem ao doutoramento e, decisivamente, através de toda a pesquisa necessária e indispensável à tese de doutoramento.
Essa investigação em ordem à tese de doutoramento - para cuja temática foi despertado pelos desafios da cultura marxista, então muito influente nos meios intelectuais, à fé e esperança cristãs, ao testemunho dos cristãos e à missão da Igreja no mundo - levou-o a uma pesquisa mais intensa nas seguintes áreas que constituem os grandes capítulos da própria dissertação: Antropologia Filosófica e Teológica, Cristologia, Eclesiologia, Teologia da História, Teologia do Progresso, Teologia da Esperança e tudo o que respeita à escatologia estritamente considerada (em autores católicos e protestantes).
O trabalho da dissertação exigiu também a investigação das fontes da história do Concílio Vaticano II (na sua preparação e realização), da história dos principais documentos e, por conseguinte, as Actas do Concílio. Daqui resultou uma área que lhe mereceu especial atenção: o desenvolvimento e hermenêutica do dogma, bem como a hermenêutica teológica em geral.
Desde que concluíu a tese de doutoramento, iniciou a sua actividade de docente e dedicou particular interesse ao aprofundamento das áreas que leccionou: Antropologia, Escatologia e Sacramentalidade da Vida Cristã. Uma das preocupações que enforma quer os cursos leccionados quer os escritos ou conferências, é a questão da identidade e relevância da fé cristã para o mundo contemporâneo com as suas grandes interrogações. Nesse sentido, dedicou-se ao estudo da cultura da modernidade e da pós-modernidade, o fenómeno da secularização e a sua compreensão teológica, de que resultaram os cursos monográficos sobre "Teologia do Mundo", "Natureza, Graça e Cultura" e "Evangelização e Mentalidade Moderna". Ainda nesta perspectiva interessou-se pela compreensão antropológico-teológico da religiosidade popular orientando repetidas vezes um seminário sobre este tema.
Em virtude das actividades do ministério pastoral tem acompanhado com a reflexão teológica alguns movimentos da Acção Católica especializados, concretamente a Liga Operária Católica e o Movimento Católico de Estudantes. Neste contexto insere-se o especial interesse que tem dedicado à reflexão sobre diversos aspectos relacionados com a Teologia do Laicado e sobre o pensamento social da Igreja, tendo orientado, repetidas, vezes um seminário sobre a "Doutrina Social da Igreja: génese histórica e desenvolvimento".
O facto de assumir a leccionação de Teologia Moral no Centro de Cultura Católica do Porto, durante nove anos foi ocasião para dedicar bastante tempo ao estudo e à pesquisa neste campo, muito relacionado com a Antropologia Teológica, interessando-se de maneira particular pela problemática da bioética e da moral social.

De 1989 a 2000, por solicitação do bispo auxiliar do Porto, D. Manuel Pelino, e em virtude de ser professor de Sacramentos de Iniciação Cristã, dedicou-se à Catequese de Adultos, tendo, para isso, aprofundado a temática da iniciação cristã do ponto de vista teológico-pastoral. Colaborou com D. Manuel Pelino na elaboração de um projecto de catequese básica para adultos de que resultou um catecismo em dois volumes, feito por ambos: "Catequese para o Povo de Deus".
Nomeado para Bispo Auxiliar de Braga, com o título de Bladia, a 10 de Novembro de 2000, a ordenação episcopal celebrou-se na sua Diocese Natal, em Vila Real, a 11 de Fevereiro de 2001, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição.
No dia 22 de Abril de 2004 foi nomeado Bispo de Viseu.
Desde 2002, assegura a presidência da Comissão Episcopal para o Ecumenismo e a Doutrina da Fé. Foi um dos dois Bispos portugueses presentes no Sínodo dos Bispos, em Outubro de 2005.
Em 22 de Abril de 2006 foi nomeado Bispo de Leiria e Fátima tendo tomado posse em 25 de Junho de 2006
D. António Marto tem mostrado, quer antes de ser bispo quer como bispo, que é um homem de doutrina, de espiritualidade e de pastoral

 

Padre Dr. Manuel Rodrigues Linda nomeado Bispo auxiliar de Braga

 linda

O padre Manuel da Silva Rodrigues Linda, reitor do Seminário de Vila Real desde 1982, diocese onde tem actividade nos últimos 25 anos, foi nomeado bispo auxiliar de Braga com o título de Case Mediane
.
Nascido a 15 de Abril de 1956 na freguesia de Paus do concelho de Resende e diocese de Lamego,o Padre Manuel Linda cresceu a frequentar o Seminário lamecense, tendo sido recebido no último ano do Curso de Teologia na diocese de Vila Real.
A conclusão dos estudos teológicos aconteceu no Seminário Maior do Porto em 1980 e, em Junho de 1981 foi ordenado presbítero para a diocese de Vila Real..
Pessoa de fino trato é Homem de Estudo e de Acção, mantendo uma relação privilegiada com os jovens e a sociedade civil
Licenciado em Humanidades pela Faculdade de Filosofia da Universidade Católica de Braga em 1997 e em Teologia Moral pela Accademia Alfonsiana de Roma em 1990, doutorou-se em Teologia Moral pela Universidades de Comillas Madrid, em 1998
.Actualmente, além de reitor do Seminário, o Padre Manuel Linda acumulava as funções de director do Centro Católico de Cultura da diocese de Vila Real, desde 1992, e Vigário Episcopal para a Cultura, cargo para o qual foi nomeando em 2001.
Pertence, também, ao Colégio de Consultores do bispo de Vila Real desde 1982.
Na sua passagem pela diocese de Vila Real, o Padre Manuel Linda foi também capelão, durante três anos, do Regimento de Infantaria 13 e dos Bombeiros da Cruz Verde.
Na sua ligação ao ensino, passou pelo antigo Magistério Primário, Escola Superior de Enfermagem e pelas Secundárias de São Pedro e Camilo Castelo Branco.

 

 


12