Seminario Foto Antiga

CÂMARA MUNICIPAL ATRIBUI  MEDALHAS DE OURO AO CORONEL DIAS VIEIRA E AO PADRE  JOÃO  BRANCO alt

O coronel António Francisco Dias Vieira e o padre João Batista Alves Branco foram agraciados pela Câmara Municipal de Montalegre com a Medalha de Honra (grau ouro) Municipal, no dia 9 de Junho, por ocasião do Dia do Município que comemora a concessão do foral à vila por D. Afonso III, em 1273.
Foram muitas as razões que estiveram na base das duas propostas aprovadas pelo executivo municipal.
Além dos méritos profissionais como militar da GNR, do seu contributo em várias associações e organismos sociais foram razões para a atribuição da referida medalha ao Coronel Dias Vieira, natural de Sezelhe, "o seu envolvimento na dinamização socio-cultural da aldeia de Sezelhe através da ACURAS, Associação local em que se integra e desempenha o cargo de presidente da Assembleia Geral, e o notável trabalho de produção literária onde os costumes, tradições e antropologia do seu Barroso são deixadas às gerações vindouras em repositório de saudade e memória..."
Nasceu no lugar de Travassos, da freguesia da Chã, o padre João Branco Concluído, sem traumas e com êxito, o exame das primeiras letras, ingressou no Seminário de Vila Real onde concluiu o Curso de Teologia tendo sido ordenado sacerdote em 15 de Agosto de 1967. Iniciou-se na vida pastoral desempenhando, no Peso da Régua, durante 3 anos as funções de Vigário Cooperador. Indigitado pelo bispo de Vila Real para continuar os seus estudos em Roma, preferiu continuar por cá a exercer o seu ministério e junto os pais que dele necessitavam. Foi então paraquiar a sua freguesia, desde 1970. Foi docente na Escola Preparatória de Montalegre onde também desempenhou funções de direcção depois de concluída a licenciatura nas Faculdades de Letras do Porto e Lisboa onde obteve o grau de licenciatura em História e Linguística Portuguesa. "Em todas as áreas onde actuou soube ser brilhante, convivial, cordato e com grande capacidade de entrega. Deu-se por inteiro à terra e às gentes". Por tudo isto mereceu agraciado com a Medalha de Honra do Município."
Ambos os agraciados agradeceram a distinção atribuída e as palavras elogiosas proferidas. Dias Vieira foi mais prolixo o coronel Dias Vieira. Mais comedido foi o padre João Branco. Ambos focaram alguns pormenores das suas vidas, enquanto cidadãos no exercício das funções que executaram até ao momento. " Mas que fiz eu que não fosse o meu dever? A minha vida tem sido igual à de tantos barrosões. Serei eu o mais digno de receber hoje esta homenagem?", disse no inicio da sua intervenção Dias Vieira. O padre João Branco agradeceu ainda a todos quantos a seu lado o ajudaram no seu caminho religioso, docente, incluindo os professores universitários. Dedicou as palavras e a medalha recebidas a todas as paróquias que serviu, assim como à Escola Preparatória de Montalegre.
O Presidente da Câmara relembrou o foral afonsino e o percurso histórico de Montalegre, fruto dinâmico das suas gentes, dos homens que serviram o concelho, fazendo-o maior. IMAGEM: DIAS VIEIRA, ORLANDO ALVES e PADRE JOÃO BRANCO